Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Publicações

A pele na Menopausa

A menopausa ainda é um tabu para muitas mulheres, que acreditam que suas vidas estarão comprometidas assim que suas peles passam a apresentar os primeiros sinais de envelhecimento e desgaste. Felizmente, com a terapia de reposição hormonal e cuidados específicos com a cútis, este quadro pode ser contornado e até controlado, evitando ainda os conhecidos sintomas, como ondas de calor, sudorese, insônia e envelhecimento precoce.

O climatério, mais conhecido por menopausa, caracteriza-se por diversas mudanças gradativas no corpo da mulher, culminando com a ausência da menstruação, devido a diminuição dos hormônios estrógenos. A pele, bem como os outros órgãos do organismo feminino, sofre grandes distúrbios causados pelas alterações hormonais. A capacidade de divisão das células fica reduzida, tornando a epiderme mais fina e delicada, e a redução de melanina favorece o aparecimento de manchas e cabelos brancos. A produção de fibras colágenas e elásticas também diminui, cerca de 1% a 2% ao ano, permitindo o surgimento de rugas e flacidez.

A pele da mulher sofre um sério ressecamento durante a menopausa, pois a produção de ácido hialurônico, responsável pela retenção de água, está diretamente ligada ao estrógeno. Esta característica é igualmente percebida na mucosa vaginal, que torna-se áspera, seca, menos elástica e suscetível a coceiras e infecções por microorganismos, além de dificultar a relação sexual.

Por estar mais delicada e sensível, a epiderme apresenta ainda uma tendência maior a reações alérgicas causadas por substâncias químicas, como cosméticos e produtos de limpeza. A pele das mãos e dos pés tornam-se grossas e ásperas, sendo freqüente o surgimento de verdadeiras rachaduras dolorosas, principalmente nos calcanhares.

O rosto, sempre mais exposto que o restante do corpo, fica propenso ao aumento de vascularização, causado pelos calores repentinos. Além de ficar vermelha e quente, a pele apresenta telangectosias, vasos pequenos e finos que "arrebentam" na superfície da epiderme.

O tratamento para estes problemas é a terapia de reposição hormonal, que reequilibra os níveis de estrógenos no organismo. Entretanto, os cuidados com a pele não podem se esquecidos, ou melhor, devem ser redobrados. Os banhos precisam ser rápidos e mornos, e os sabonetes, neutros. O uso diário de hidratantes é obrigatório e as substâncias ativas podem ser uréia, ácido hialurônico, lipossomas e alfa-hidróxiácidos, entre outras. Os óleos essenciais e naturais são uma boa opção, se aplicados logo após o banho. Deve-se usar e abusar ainda das vitaminas antioxidantes, como A, E, C etc.

Ainda há controvérsia sobre a validade da exposição hormonal, porém cada vez mais há consenso sobre sua importância respeitando as contra indicações específicas.

A reposição hormonal é importante para evitar a osteoporose, infarto do miocárdio e derrame cerebral, além da depressão e calores.

Em relação a pele, a terapêutica reposição melhora a hidratação da pele.

 

 

voltar

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados