Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Dicas

Queda de cabelo – o que é normal?

Por que o cabelo cai?

Todo fio tem um tempo de vida. Ele nasce, cresce e, finalmente, cai. É um processo comum e a queda é apenas sinal de mudança do ciclo capilar. Nem todos os fios encontram-se na mesma fase, no entanto. Em condições normais, 85% dos fios do couro cabeludo estão crescendo enquanto o restante está em eflúvio, como chamamos o período de queda. Portanto é normal que o cabelo caia ao lavar e pentear. Como a raiz permanece ativa, logo inicia-se o crescimento de um novo fio.

Por quanto tempo o fio cresce?

A duração do ciclo varia de uma pessoa para outra, conforme predisposição genética. Em média, o fio cresce por quatro anos antes de ser trocado. Mas algumas pessoas tem um ciclo capilar de até oito anos enquanto outras têm de apenas dois. O dilema, nestes casos, é não conseguir deixar o cabelo muito comprido. 

Quando a queda deixa de ser normal e passa a ser motivo de preocupação?

Não dá para falar em número de fios, pois isso varia e depende se você tem uma cabeleira mais densa ou mais rala. Além disso, é um trabalho insano ficar contando quantos caem por dia. É importante estar sempre atento para aumentos na quantidade que cai. 

O que gera a queda anormal?

Há duas causas mais freqüentes. Uma delas é a anemia, conseqüência de uma alimentação pobre em alimentos com ferro. Para combatê-la, é importante comer mais carnes de qualquer animal, fígado, feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha, cereais integrais, nozes, brócolis e couve. Também vale a pena acrescentar à mesma refeição alimentos ou sucos ricos em vitamina C (como laranja, abacaxi, acerola, caju e kiwi), que contribuem para a absorção do ferro pelo organismo. Outra causa muito comum são as alterações no funcionamento da tireóide. Nos dois casos é indispensável consultar o médico e pedir exame de sangue para verificar anemia ou alteração na tireóide.

Há alguma outra causa importante de relatar?

Sim, a queda pode ser sinal de alguma alteração orgânica já superada. Uma amidalite, por exemplo, faz com que o organismo concentre suas forças no combate à doença. Três meses depois de ter sarado, pode-se notar excesso de fios caindo. Isso ocorre porque entre a fase de crescimento e de queda há um período de repouso. Dietas radicais, cirurgias, febre, estresse acentuado e medicamentos fortes estão entre os fatores que interrompem o crescimento do cabelo e provocam sua queda mais adiante. 

A genética influencia?

Com certeza, mas é diferente no homem e na mulher. A calvície feminina começa com a perda de fios após a puberdade e ao longo dos anos o cabelo vai ficando ralo e couro cabeludo mais evidente, principalmente no topo da cabeça. Nos homens, a rarefação provoca entradas e avança até a parte superior do couro cabeludo. Conforme o cabelo vai caindo alguns novos fios nascem mais finos. 

Existe algum procedimento feito no salão que pode provocar a queda?

A química de alisamentos, tinturas ou permanentes resseca o fio, mas não provoca seu caimento, a menos que o produto utilizado seja de má qualidade ou que a cliente tenha alergia ou irritação. 

Como o cabeleireiro pode ajudar o cliente a detectar se há algo errado?

Ao notar que muitos fios estão caindo, vale perguntar se ele fez alguma dieta muito restritiva ou se está tomando medicamentos sem indicação médica. Caso a resposta seja afirmativa, é importante avisar que esses comportamentos podem estar prejudicando o organismo e aumentando a queda. Também é bom alertar o cliente de que quando ela está associada a outros sintomas como cansaço, irritabilidade, perda ou aumento de peso e fraqueza geralmente é indício de anemia ou problema na tireóide. A melhor saída é procurar um médico imediatamente.

Há tratamento?

Quando o problema é causado por estresse, alteração na tireóide ou anemia deve-se melhorar, primeiro, a condição geral do organismo com uma dieta equilibrada e novos hábitos. Além disso, logo que o afinamento dos fios for notado é possível usar medicamentos específicos e eficientes contra a calvície. Mas somente o médico pode receitar.

Qual seu conselho para os profissionais de beleza?

Apesar de não ser indispensável à vida, o cabelo reflete a saúde e o estado emocional. Um grande gasto de energia rapidamente aparece na cabeça. Toda atenção aos fios é válida e contribui para uma vida mais saudável. 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

voltar

 

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados