Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia
Dermatologista - Clínica Denise Steiner - Dermatologia

:: Dermatologia Clínica

Acne na mulher

Generalidades

A acne é dermatose crônica, comum em adolescentes, caracterizada por lesões inflamatórias, principalmente na face. É uma doença do folículo pilo sebáceo em cuja fisiopatologia interferem vários fatores como: genético, hormonal, hiperprodução sebácea, hiperqueratinização folicular e aumento da colonização bacteriana pelo Propionibacterium acnes. Ela pode ser classificada genericamente em acne primária (vulgar) e acne sacundária (hormonal, cosmética, escoriada, solar). No primeiro caso, trata-se da acne de adolescentes e adultos jovens em que a predisposição genética, estimulada pelo início da produção hormonal favorece o desenvolvimento das lesões clínicas. No caso da acne secundária, ocorre processo mais específico, em que determinado elemento, como um corticosteróide ou sol, pode ser o fator causal.
A acne se inicia próximo à puberdade, acometendo ligeiramente mais mulheres do que homens. Ocorre em todas as raças, embora com menos intensidade em orientais e negros. Ela é mais grave no homem e dificilmente ocorre em crianças e idosos. Na adolescência esta dermatose chega a comprometer cerca de 80% dos jovens e na fase adulta a prevalência atinge a faixa de 10% de pessoas acometidas.

Tratamento

O sucesso terapêutico se baseia numa harmoniosa relação médico/paciente com laços de respeito e confiança. É necessário histórico completo, com características do quadro, fatores de melhora e piora, tendências familiares, tratamentos anteriores, expectativas etc.
A acne da mulher adulta apresenta algumas características específicas tais como: menor número de lesões, comedões fechados, localização na região do mento e pescoço e surtos relacionados à pré-menstruação. Pode ser necessária a dosagem sérica dos andrógenos, como testosterona livre e total, sulfato de deidropiandrosterona. Quando houver suspeita de ovário policístico, é necessário a dosagens hormonais, além do exame ultra-sonográfico. Estabelecendo-se o causa do hiperandrogenismo, a cura pode ser clínica (ovário policístico) ou cirúrgica (tumores).

Tratamento tópico

O peróxido de benzoíla, usado no tratamento do acne há vinte anos, tem grande poder bactericida, tendo sido o primeiro agente tópico efetivo para acne. É encontrado sob a forma de loções e gels, sozinho ou combinado a outras substâncias. O peróxido da benzoíla diminui o número e tamanho de lesões ativas de acne, sugerindo que tenha um efeito antiinflamatório. Provoca ressecamento e irritação, além de dermatite de contato, em raros casos.

Os retinóides tópicos como tretinoina e isotretinoina são úteis, agem no defeito da queratinização, diminuem o sebo e o tamanho da glândula sebácea.

Outros de terceira geração como tazaroteno e adapaleno também são indicados em casos de acne de mulher adulta. Causam menor irritação e fotossensibilidade que a tretinoína com resultados terapêuticos significativos. Num estudo comparativo do gel de adapalene a 0,1% e gel de tretinoina a 0,025%, feito por shalita, o adapalene mostrou-se, em doze semanas de tratamento, menos irritante, mais rápido na involução de lesões, maior redução tanto no número de lesões, quanto nas lesões não inflamatórias. Estes rasultados também forma observados por outros autores.

Os retinóides em geral são utilizados a noite ou em noites alternadas por um prazo n inferior a 12 semanas. O ácido azelaico a 20% é usado para diminuir a produção de sebo e tem sua melhor indicação quando houver manchas associados.

Alguns antibióticos tópicos como eritromicina e clindomicina podem ser utilizados, porém deve-se evitar o uso dos mesmo em associação com aqueles sistêmicos. A resistência aos antibióticos tem aumentado muito devido os mesmos serem usados com muito critério.

Tratamento sistêmico

O tratamento sistêmico, baseia-se no uso de antibióticos, anti-andrôgenicos e isotretinoína.

Nos casos de acne maderada a severa sempre se administra antibióticos. Os antiandrogênicos só estão indicados no sexo feminino, e a isotretinoína é usada nos pacientes que não obtiveram a resposta favorável com tratamentos convencionais e em casos de acne severa em região do tronco.

Os antibióticos de amplo espectro são utilizados no tratamento do acne moderado a sevevo, normalmente em baixas doses, sem grande incidência de efeitos colaterais. No entanto, pode ocorrer uma complicação rara, que é uma foliculite por germes gram-negativos, que deve ser tratada.

Os antibióticos são usados continuamente, por um período mínimo de seis a oito meses. São uma opção escolha terapêutica oral para a acne, sendo a tetraciclina a em geral a primeira droga a ser usada sempre, exceto nos casos de alergia ou intolerância, ou nos casos de gestantes, quando a opção é a eritromicina.

A tetraciclina via oral não altera a produção de sebo, mas reduz a concentração de ácidos graxos livres, componentes irritantes do sebo, e aumenta a concentração de ácidos graxos esterificados, com doses que variam de 250mg a 1000mg por dia, que são reduzidos assim que o quadro apresenta melhora. Estes efeitos se manifestam após várias semana de tratamento. O real mecanismo de ação da tetraciclina é desconhecido. Deve ser ingerida em jejum, pra aumentar a sua absorção. Apresenta, como efeito adverso, a onicólise.

A minociclina é o antibiótico sistêmico mais usado no tratamento prolongado do acne severo. Burke e Cunliffe discordam, afirmando que seu efeito é similar ao da tetraciclina. Além do mais, embora raros, os efeitos colaterais do uso da minociclina são graves, e incluem hiperpigmentação de vários tecidos, desordens autoimunes (lúpus eritemaso sistêmico, hepatite autoimune), e reações de hipersensibilidade graves (síndrome de hipersensibilidade, pneumonite e eosinofilia).

Em casos de acne cística severa, pode haver opção recomenda pelo o uso de sulfonas, principalmente havendo lesões hemorrágicas, em doses de 50 a 100mg por dia, inicialmente, e de até 200mg por dia opós.

Hoje, outros antibióticos podem ser utilizados como a azitromicina com posologia confortável utilizando 1 cápsula ao dia, a mesmo pode ser utilizado em sistemas de pulso a cada 15 dias.


A isotretinoína doi introduzida em 1979, e desde de então, é usada em mais de oitenta países, e já foi prescrita para mais de seis milhões de pacientes, segundo Plewig et col.

A isotretinoína, ataca diretamente as causas do problema da acne, reduzindo o tamanho das glândulas sebáceas e a secreção do sebo, e amenizando os processos de inflamação e infecção. Portanto, é o único medicamento que age nos quatro fatores patogênicos da acne: excressão de sebo, inflamação, colonização do Propionibacteruim acnes e comedogênese.

Diversos estudos apontam que a administração da isoretinoina garante cura ou remissão prolongada em 90% dos casos de acne, ou seja, apenas 10% dos pacientes necessitam repetir o tratamento para se livrar do problema. É importante lembrar que a orientação de um dermatologista é imprescindível é para a administração do medicamento.

O tratamento dura cerca de cinco a dez meses, mas esse período pode variar de paciente para paciente. Só o médico pode determinar qual será a duração exata. Em geral, quando menor a dose diária, maior o tempo de duração de tratamento. A dose também vai depender de cada caso, variando de acordo com o peso da pessoa.

Alguns cuidados devem ser tomados antes do início do tratamento com a isotretinoína. O alerta se dinge principalmente ás mulheres, que não podem estar grávidas ao começar o tratamento e não devem engravidar até um mês após termina-lo, período em que a isotretinoína permanece no organismo, podendo causar má formação fetal. Nos homens, porém, a substância não provoca alteração no esperma nem qualquer outro fenômeno relacionado à função reprodutiva.

Apesar dos resultados positivos do tratamento (Isotretinoína), inúmeros mitos envolvendo seu principio ativo, a isotretinoína, ainda persistem na mente das pessoas. Leia no quadro que se segue às verdades e mentiras sobre o ramédio.

Mentiras e verdades sobre isotretinoína

Mentira Verdade
A isotretinoína só pode ser usada casos de acne grave, nódulo cística ou conglobata. A substância pode ser usada também por pacientes com acne moderada resistente ou com tendência a cicatrizes emocionalmente afetados e seborréicos.
Em todos os casos, o quadro de acne dos pacientes piora no início do tratamento. Apenas em alguns casos, como nos pacientes com grande número de macro-comedões, há piora do quadro no início do tratamento.
A isotretinoína não pode ser usada por pacientes com doenças sistêmicas ou Aids. A substância pode ser utilizada tanto por pessoas com doenças sistêmicas quanto por portadores do vírus HIV.
A mulher deve esperar dois anos após o término do tratamento para engravidar.
 
A mulher pode engravidar com total segurança um mês após o fim do tratamento.
Isotretinoína pode causar depressão. Não existe qualquer evidência científica que estabeleça ligação entre a substância e a depressão. Pelo contrário muitos jovens que apresentavam depressão ou queda de auto estima associadas à presença de acne tiveram o seu quadro emocional melhorando após o término do tratamento com Roacutan® (Isotretinoína).
 

Um dos principais inconvenientes causados pelo surgimento da acne é, sem dúvida, a baixa auto-estima dos portadores da doença. Pesquisas realizadas recentemente mostram, porém, que esses transtornos vão muito além da estética. Um estudo apontou que a taxa de desemprego entre jovens com acne chega a ser 70% maior que entre aqueles que não têm a doença. Também é comprovado que os portadores do problema têm muita dificuldade para se integrar a seus grupos sociais, seja por vergonha ou medo de rejeição.

Dai a importância de se tratar a acne com muita seriedade, visando sempre a cura da doença. O primeiro passo a ser tomado é a procura de um dermatologista. "É preciso acabar com alguns mitos e distorções que envolvem a acne, ainda vista como um mal passageiro que se resolve com o tempo”.

 

voltar

 

2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados
2004 © - Dermatologia - Dra. Denise Steiner - Dermatologista - Todos os direitos reservados